Tim Lopes - Ficha Pessoal 

FICHA PESSOAL

Lugar de Nascimento: Pelotas, Rio Grande do Sul
Idade ao morrer:
51anos

Estado Civil: vivia com Alessandra Wagner há 10 anos

Filhos (nomes e idades na data da morte do pai): Bruno, 19 anos, filho do primeiro casamento, e Diogo, 15 anos (filho de Alessandra)

Educação: cursou Jornalismo na Faculdade Hélio Alonso, Rio de Janeiro

Profissão/cargo: era repórter e produtor de rede da TV Globo desde 1996

Antecedentes Jornalísticos: o primeiro trabalho foi na revista Domingo Ilustrada, do jornalista Samuel Wainer, como contínuo. Quando começou a fazer reportagens na rua, passou a ser chamado de Tim Lopes. Segundo amigos, o nome artístico foi dado pelo próprio Samuel Wainer, devido à semelhança com o cantor Tim Maia. Trabalhou no extinto jornal O Repórter, na revista Placar, nos jornais O Globo, Jornal do Brasil e O Dia, no Rio de Janeiro.

Atividade Social/passatempos: gostava muito de correr pela orla da praia. Uma vez, na corrida de São Silvestre, que acontece tradicionalmente no último dia do ano, em São Paulo, Tim Lopes acompanhou, correndo, o então ministro João Sayad, que participava da competição. Era torcedor fanático do time Vasco. Foi fundador do bloco de carnaval “Simpatia é quase amor”.

Outras atividades ou funções: Participava como jurado das escolas de samba no Carnaval. Escrevia um livro com o repórter Alexandre Medeiros sobre o samba e a Mangueira, bairro onde se criou.

Prêmios: em 2001, recebeu o Prêmio Esso com a equipe da TV Globo pela reportagem “Feirão das Drogas”, em que denunciava, por meio de uma câmera escondida, a venda livre de drogas no complexo do Morro do Alemão. Foi o primeiro prêmio Esso concedido na categoria televisão. Recebeu ainda o 11º e o 12º Prêmio Abril de Jornalismo na categoria Atualidades pelas matérias “Tricolor de Coração” publicada na revista Placar de dezembro de 1985, e “Amizade sem Limite”, de maio de 1986. Em fevereiro de 1994, recebeu um prêmio de melhor reportagem feita no jornal O Dia pela série “Funk: som, alegria e terror” - ironicamente, o mesmo tema de sua última grande reportagem na TV Globo.

Fonte: www.impunidad.com

 

Fechar